Metalúrgicos da CUT São Paulo entregam pauta da Campanha Salarial 2017

Combate às reformas e a terceirização estão na ordem do dia da categoria

 

A Federação de Sindicatos de Metalúrgicos da CUT São Paulo (FEM-CUT/SP), que representa cerca de 198 mil metalúrgicos/as no estado, entrega, na próxima terça-feira (04/07), a pauta de reivindicações da “Campanha Salarial 2017: Resistência, Unidade e Luta” para o setor patronal na sede da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e também do Sindpeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores) que compõe o grupo 3 – autopeças, forjaria e parafusos.

 

Os cinco eixos da campanha deste ano são: 40 horas semanais; INPC + aumento real; não à perda de direitos; contra as reformas do governo e o projeto de terceirização. Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, presidente da FEM-CUT/SP, afirma que, assim como nos últimos anos, a crise econômica é profunda e traz impactos reais para a classe trabalhadora. “A crise tem se aprofundado mais e a postura patronal é ainda mais dura em relação aos direitos dos trabalhadores/as. Esperamos uma campanha difícil e que exigirá mobilização e união dos metalúrgicos/as no estado de São Paulo”.

 

Com o slogan “Resistência, Unidade e Luta”, a Campanha Salarial deste ano traz em seus eixos centrais a luta por nenhum direito a menos e o combate firme a terceirização (já aprovada no Congresso Nacional) e as reformas Trabalhista e da Previdência que estão tramitando no Legislativo brasileiro. “Além de direitos já conquistados pela categoria que estão sendo colocados sob ameaça desde as últimas campanhas, os patrões, junto com o governo, vêm aplicando medidas que só irão piorar ainda mais a situação da classe trabalhadora brasileira. Vale ressaltar que este governo não tem legitimidade de realizar reformas desta magnitude que mais parecem destruição dos direitos dos trabalhadores/as do que reformas”, finaliza Luizão.

 

Resgate Histórico

A Campanha Salarial 2017 “Resistência, Unidade e Luta”, traz em sua identidade visual o resgate do Construtivismo Russo, linguagem estética e artística usada durante o período revolucionário russo para dialogar com a população através de cartazes e panfletos. Além de homenagear os 100 anos da Revolução Russa, o objetivo é resgatar o histórico de organização dos trabalhadores para a tomada do poder e o avanço dos direitos da classe contra a exploração do capitalismo.

Em 1917, no Brasil, também aconteceu a primeira greve geral do país. A Campanha Salarial 2017 da FEM-CUT/SP também celebra os 100 anos desta greve. “100 anos depois da Greve de 1917 construímos a maior greve geral da história do Brasil. Em um momento como esse que vivemos, de ataques concretos contra nossos direitos é importante resgatar os diversos momentos de resistência da classe trabalhadora”, explica Luizão.

 

Serviço:

Entrega de Pauta da Campanha Salarial dos Metalúrgicos da CUT/SP 2017: Resistência, Unidade e Luta:

Data: 04/07/2017

Onde:

Sindpeças (Avenida Santo Amaro, 1386 – São Paulo/SP) às 10h

FIESP (Avenida Paulista, 1313 – São Paulo/SP) às 14h30

Assessoria de Imprensa: Marina Selerges (11) 95028.6789

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *