FMABC está entre as 10 melhores faculdades do Estado segundo exame do Cremesp  

Reprovação chega a 55% dos recém-formados em Medicina no Estado. Índice alcança 65% entre escolas privadas

 

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo acaba de divulgar os resultados da edição 2014 do Exame do Cremesp, realizado com formandos de Medicina de todo o Estado. Das 30 faculdades que participaram da avaliação, somente 10 obtiveram nota superior a 60 – entre as quais a Faculdade de Medicina do ABC. Representada por 104 alunos, a FMABC obteve média 64,78. Já o conceito médio geral da prova, que engloba o resultado de todas as instituições participantes, foi de 57,52%.

“Nossos alunos obtiveram resultado superior à média geral da prova em todas as nove áreas do conhecimento avaliadas. Essa conquista ratifica a seriedade e a excelência com que os trabalhos são realizados na escola e converge com a nota máxima 5 que o curso de Medicina obteve recentemente no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE), do Ministério da Educação”, comemora o coordenador do curso de Medicina da Faculdade de Medicina do ABC, Dr. David Feder, que garante: “Nossas avaliações nos aproximam das escolas públicas em termos de qualidade de ensino”.

 

Das 30 escolas médicas paulistas com recém-formados que realizaram o Exame do Cremesp, 20 não conseguiram atingir 60% aproveitamento (ponto de corte). Entre as escolas com menor desempenho, 15 não atingiram rendimento de 45% e 9 não conseguiram alcançar 25% de aproveitamento.

 

SITUAÇÃO ALARMANTE

A 10ª edição do Exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo ocorreu em outubro de 2014, com objetivo de avaliar o desempenho dos recém-formados em Medicina. O registro no CRM depende somente da participação na prova e não está condicionado ao desempenho ou à aprovação. Dessa forma, o exame serve como termômetro do ensino médico no Estado.

 

Dos 2.891 recém-formados em escolas médicas do Estado de São Paulo que participaram ano passado, 1.589 – ou 55% deles – foram reprovados ao não atingirem o critério mínimo da prova, acertando menos de 60% do conteúdo. Os outros 45% – ou 1.302 egressos – tiveram êxito em mais de 60% da avaliação. Entre as escolas públicas paulistas, a reprovação foi de 33%. Já entre os cursos privados do Estado de São Paulo, 65,1% foram reprovados. “Com a abertura desenfreada de escolas de medicina, inclusive na nossa região, pode-se esperar uma queda ainda maior na qualidade dos formandos”, prevê o coordenador do curso de Medicina da FMABC, Dr. David Feder.

A última edição do Exame do Cremesp registrou recorde de participantes, com abstenção de apenas 0,9% dos 2.916 inscritos. A avaliação foi instituída em 2005, mas até 2011 a participação dos recém-formados na prova não estava condicionada à concessão do registro profissional. Legalmente o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo não pode impedir o médico sem formação adequada de exercer a Medicina. “Estamos tentando mudar essa situação. Temos trabalhado com todas as escolas, por meio de uma Câmara Temática, para discutir a formação e a maneira como o Conselho pode interferir para mudar esse cenário”, revela o presidente do Cremesp, Bráulio Luna Filho, que acrescenta: “Como não conseguimos colocar uma ferramenta obrigatória que impeça o aluno com mau desempenho de exercer a profissão, temos tentado acompanhar a formação dos estudantes por meio de comissões.

A prova contou com 120 questões objetivas de múltipla escolha, abrangendo problemas comuns da prática médica em nove áreas básicas: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Pediatria, Ginecologia, Obstetrícia, Saúde Mental, Epidemiologia, Ciências Básicas e Bioética.

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *