Equipes da Defesa Civil de Ribeirão Pires participam de treinamentos

Circuitos físicos e utilização de equipamentos, em parceria com os bombeiros, fazem parte de formação para ocorrências
A Defesa Civil Municipal de Ribeirão Pires divulgou, nesta semana, uma série de exercícios realizados pela equipe que atende as ocorrências da cidade. Em circuito de atividades físicas e com a utilização de equipamentos como roupas de proteção, os membros enfrentam desafios para se preparar para eventuais atendimentos com maior risco.
Alguns treinamentos acontecem em parceria com o Corpo de Bombeiro, utilizando, por exemplo, botijões de gás em chamas. O objetivo é que a equipe de emergências da Defesa Civil de Ribeirão Pires esteja focada e preparada para atender ocorrências que exigem resistência física e experiência com artefatos perigosos.
“Pautamos nosso trabalho com o treinamento dos agentes e, principalmente, pelas ações preventivas”, explicou o coordenador da Defesa Civil, Cesar Theodoro. “Nossa preparação prévia para atender ocorrências de maior perigo garante maior segurança e precisão quando chegar o momento de agir”, declarou.
Retirada de marimbondos
Nesta semana, a Defesa Civil da cidade realizou atendimento à solicitação de retirada de cachopa (ninho) de marimbondos. A remoção deste tipo de inseto deve ser feita por profissionais capacitados e com experiência, para evitar a picada do inseto.
Pessoas atingidas por picada de marimbondo podem desenvolver reações inflamatórias ou de ordem sistêmica, como urticária, náuseas, vômitos, diarreia e, em casos ainda mais graves, dores abdominais, perda de memória, diminuição da pressão arterial e dificuldade para respirar.
Emergências
Em casos de emergência, a Defesa Civil atende pelos números 199 ou 4825-1830. Se possível, identificar endereço da ocorrência anteriormente à ligação. O órgão também pode ser acionado em casos de alagamentos, inundações, desabamentos, quedas de árvores, incêndios, explosões, deslizamentos, destelhamentos; colisões ou queda de veículos; rupturas ou colapsos em vias públicas; ruptura ou vazamento em dutos e galerias; sinais de risco em geral como trincas, deformações, fumaças, odores ou ruídos incomuns; ou ainda em eventos estranhos ou fenômenos suspeitos quanto a risco.
Em Ribeirão Pires, a Defesa Civil atende a uma média de 1.500 chamados por ano. Paralelamente, são desenvolvidas atividades preventivas como cortes de árvores que ofereçam risco iminente e vistorias técnicas de acordo com o acionamento através do telefone de emergência (199).
Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *