Câmara de Santo André fecha balanço com resultados expressivos

Legislativo destacou primeiro semestre com ações sustentáveis para gestão econômica

A gestão da Câmara de Santo André destaca, no balanço destes primeiros 180 dias, resultados expressivos no cronograma administrativo e financeiro. 

O plano de ações instituído pela Casa adotou a restrição do uso de veículos oficiais apenas no município. A manobra, segundo o presidente do Legislativo, Almnir Cicote (PSB), possibilita economia com combustível e manutenção, além de contribuir para a redução de emissão de poluentes. “Em 2016, foram usados cerca de 43 mil litros de combustível nos carros oficiais, o que gerou custo de R$ 120 mil à Casa”, ponderou.

Adotar medidas de consumo responsável é outra frente destacada pelo parlamentar. A Câmara reduziu em 25% a cota mensal de fotocópias, passando a limitar o teto máximo a 3.000 cópias por gabinete, além da contração de 25% nos gastos com Correios ao ano. Apenas em 2016 foram efetuadas mais de 815 mil cópias na Casa.

Adicionalmente, Cicote conduz estudos para a troca da iluminação convencional por lâmpadas LED e a instalação de secadores elétricos para as mãos, em substituição à toalha de papel. “O uso do papel para secar as mãos, além do impacto ambiental, cria uma problemática de armazenamento. A instalação dos secadores representa uma redução representativa do custo operacional, com redução de gastos de 82% com papel toalha, além de inibir o desperdício”, defende.

A adoção de boas práticas na consolidação de um Legislativo responsável passa por uma campanha de caráter educativo. “Lançamos o programa “Adote uma Caneca no Trabalho”, com o intuito de reduzir o uso de copos plásticos e descartáveis. Se um funcionário usa, em média 3 copos por dia, em um ano terá consumido mais de 1.000 copos”, calcula o presidente, que defende menor impacto ambiental e o uso consciente do dinheiro público.

O planejamento proposto deve gerar, neste ano, uma economia média de aproximadamente R$ 287.000,00. Entretanto, a Câmara tem como desafio ajustar as contas e contingenciar R$ 4.697.000,00 de seu orçamento. O montante refere-se à queda na arrecadação municipal, um dos reflexos da crise econômica.

Trabalhos Legislativos – Os números revelam a intensidade com que os trabalhos legislativos foram executados neste início de mandato. Foram protocoladas 2.619 indicações e 218 Projetos de Lei. Deste montante, 47 projetos foram aprovados e 165 estão em processo de tramitação. O Executivo enviou à Casa outros 25 projetos, com aprovação de 19.

A Casa também demonstrou seu engajamento na solução de problemas sensíveis à população. Os vereadores aprovaram, por unanimidade, o Projeto Saúde Fila Zero, encaminhado pelo Executivo, que permite a compensação de débitos por meio da realização de consultas e exames, com o intuito de zerar a atual fila de espera, que acumula mais de 60 mil pessoas em cada modalidade.

Outro importante projeto recebeu aval dos vereadores: A Regularização Fundiária do Centreville. “Os moradores do bairro aguardavam o processo de legalização dos imóveis há cerca de 35 anos. Um momento histórico para as 1.300 famílias que residem na região”, defendeu Cicote. 

A Casa recebeu, nesta segunda-feira (10), outro importante projeto: A Reforma Administrativa da Prefeitura. A iniciativa visa o enxugamento da máquina a partir da extinção de cargos comissionados que sobrecarregam os cofres públicos municipais.

O Legislativo andreense também discutiu e referendou projetos do chefe do Executivo, Paulo Serra (PSDB), como a Reforma Administrativa e a troca de dívida ativa por precatórios.

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *